fbpx
Limites Inteligentes – Parte 1
novembro 13, 2017
Limites Inteligentes – Parte 3
novembro 17, 2017

Limites Inteligentes – Parte 2

Continuando a falar sobre o assunto que também está no nosso canal do Youtube, hoje quero continuar falando sobre os 2 extremos, no que diz respeito a Limites.

Semana passada falei sobre as mães PERMISSIVAS nesse post:

Hoje, quero falar sobre o extremo oposto, o das mamães altamente PROIBITIVAS, que, também por insegurança, não permitem que seus filhos façam nada, roubando-lhes a infância.

Na minha caminhada, ao longo dos anos e com contato com vários grupos de mães e mulheres, percebo que este grupo é pequeno, mas ainda existe.
As mães proibitivas são aquelas que colocam seus filhos em “bolhas anti-vida”, em que as crianças habitam longe de quaisquer “males” da infância como germes, bactérias, arranhões, hematomas e muitos outros.

Voltando ao nosso passado, podemos observar o nítido equilíbrio que existia em nossa infância. Ao mesmo tempo em que éramos PROIBIDOS de interagir com adultos e emitir alguma opinião, tínhamos TODA a liberdade de sermos criança, como criança tem que ser.

A rua era nossa casa, o band-aid, nosso melhor amigo. Não tinha problema tomar banho de chuva, nem pisar na lama. A gente tinha piolho e pegava verme. De 6 em 6 meses tomávamos vermífugo e volta e meia tinha “catação de piolho” na cabeça.
E isso era normal. Quem teve infância, tinha cicatriz e as exibe com orgulho.

Hoje, como já falei em outro post, as crianças estão sendo sequestradas de sua infância. (leia aqui)
Mas, simultâneamente, introduzidas em um mundo que não lhes pertence. Um mundo de decisões que não cabe a elas, que não faz parte do seu universo.

Percebe como tudo se inverteu?
A gente não podia falar, emitir opinião. Mas a gente era livre pra viver, ser criança, errar, cair, se machucar.
Hoje, eles podem decidir tudo, podem opinar, podem definir sua rotina. Mas não podem VIVER, no sentido mais amplo da palavra.

Como então achar o meio-termo desses dois extremos? Como saber se os limites que estou dando são suficientes ou não?
Como determinar regras e rotinas, sem castrar a liberdade natural e intrínseca da criança?

Semana que vem eu te conto.
Acompanhe nosso blog, tem post novo toda quinta!
Até lá.

Carla
Carla
Carla Machado é casada com Ronald há 17 anos e é mãe da Lisa, do Levi e da Laís. É palestrante e coach de pais com especialização em Eneagrama, certificada pela International Enneagram Association.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *