fbpx
EU SOU VELHA E CHATA | Blog
janeiro 4, 2019
Festinha em casa
fevereiro 13, 2019

Portrait of female army soldier

Os últimos meses no Brasil foram marcados por intensa dualidade de opiniões. Muita gente gritando, pouca gente ouvindo…

Antes que você pare de ler este texto, quero, desde já, afirmar que nosso atual Presidente não foi minha primeira escolha. Assim como também não o foi o outro candidato.
Então, por alguns momentos, deixe de lado os pré-conceitos e acompanhe este simples pensamento de alguém que quer um futuro melhor para o país.

No dia 1º, vimos várias situações inusitadas: uma caneta de fabricação nacional substituindo a pomposa marca francesa; um relógio de camelô; o discurso inédito de uma primeira-dama – em libras!
Se tudo foi premeditado ou cuidadosamente calculado, não sei. O que sei é que aquele discurso me fez refletir sobre várias coisas.

Quando os jornalistas confundiram o sinal em libras com uma saudação militar, fiquei pensando em outro sinal que fazemos com a mão na testa: o de olhar ao longe.
Quando estamos diante de uma grande estrada e precisamos enxergar algo muito distante, costumamos colocar a mão na testa, a fim de proteger os olhos da luz do sol, e então, enxergar com mais clareza.
E é neste sinal que eu tenho me apoiado.
É hora de olhar pra frente. O futuro do Brasil ainda é incerto, mas certamente, é brilhante.
Se você duvida disso, está na hora de colocar as mãos na testa e olhar além do que seus olhos alcançam.

Ao invés do #elenao ou do #elesim, pergunte-se: #eeuoque?

Certamente, #elenao representa tudo que eu penso ou espero de um Presidente. É um homem falho e imperfeito como qualquer de nós.
Mas sim, #elesim, é meu Presidente e merece todo meu apoio e honra.
Então, #voceoque?
Fica torcendo para algo dar errado para você sapatear em cima, ou torce para que ele acerte, e muito?
Interceda por aquele que está no comando da nação, para que ele comande pelo bem de todos, sem exceção.

Bem, #elenao foi feliz em algumas declarações, é verdade.
Mas sim, #elesim, é aquele que carrega o peso de mais de 200 milhões de vidas nas costas.
Então #voceoque?
Fica destilando seu discurso de ódio nas redes, e depois deita sossegado no travesseiro. Talvez você gostaria de assumir o lugar dele por um dia?
Você realmente pensa e reflete bem antes de escrever ou falar qualquer coisa?

Você alega que #elenao respeita as minorias.
Mas #elesim, vai prestar contas sobre cada papel que assinar. Nas palavras do tio Ben, “com grandes poderes vêm grandes responsabilidades”.
Mais uma vez te pergunto: você trocaria de lugar com ele?
Falando de minorias, #voceoque?
– Luta contra o rosa e azul, mas se esquece de que o espectro de luz tem infinitas cores e possibilidades. Então você proclama que cada um deve ser livre para vestir a cor que deseja, mas não ama nem respeita aqueles que se vestem com todas as outras cores.
– Luta contra o preconceito racial, mas se esquece da menina loira de olhos azuis que foi sustentada pelo trabalho duro da mãe solteira e que hoje é pos-doutora e funcionária publica federal. Então, para você é mais fácil dizer que ela está ali porque é branca, do que assumir que as oportunidades para ela eram as mesmas que as suas, mas ela soube aproveitar casa gota de suor da sua mãe ao invés de se ver como vítima da sociedade cruel.
– Luta pelo direito dos gays mas se esquece que muitos de nós somos a favor dos seus direitos, mesmo sem concordar com suas atitudes. Então você acredita que a melhor forma de “diálogo” é a afronta.
– Luta pelo protagonismo feminino, mas se ofende com aquelas que desejam ser “apenas” donas-de-casa, pois entendem que cuidar dos filhos é seu maior legado para o futuro do país.

Sabe, eu também me considero uma minoria.
Em meio a uma histeria coletiva, eu me vejo com a mão na testa, tentando focar ao longe o futuro do Brasil.
Por isso eu luto, todos os dias, para que #elesim, e eu também, sejamos protagonistas de um novo tempo neste país.
Eu nao quero ser #resistencia! Eu quero ser #insistencia!
Quero que meus pequenos atos, todos os dias, produzam uma bola de neve que vai crescendo e agregando cada floquinho ao seu redor.
Eu sou da #insistencia pelo amor, pelo perdão, pelo “juntos somos mais fortes”.

Por que resistir se podemos insistir?

– enquanto muitos estão se armando, eu insisto na educação. Não preciso esperar pelo Presidente! Posso começar eu mesma, na minha casa!

– enquanto muitos desprezam os diferentes, eu insisto pelas nossas igualdades.

– enquanto muitos falam, eu insisto em escutar.

– enquanto muitos lutam um cabo de guerra, eu insisto para encontrar um terceiro caminho, uma terceira opção, uma terceira opinião.

– enquanto muitos resistem, eu insisto. Enquanto muitos desistem, eu insisto. Enquanto muitos são levados pela multidão eu insisto em permanecer na contramão. Mas eu não saio atropelando ou puxando ninguém comigo.
Eu simplesmente insisto em seguir o caminho que acredito.

E eu acredito em um Brasil melhor com pequenos atos de amor e insistência em ser a mudança que queremos no mundo.

Eu gosto muito da trilogia de Senhor dos Anéis e um dos motivos é este: insistência.

Enquanto batalhas épicas eram travadas, e milhares e milhares de soldados de todos os lados eram dizimados, dois pequenos Hobbits caminhavam rumo às montanhas de Mordor.
Longe das câmeras, longe dos holofotes, sem alarde. Simplesmente insistiram, até o final, no seu propósito: destruir o anel do poder.
Existia muita gente mais forte ou capacitada para cumprir a tarefa. Mas por algum motivo que ninguém entendia, eles foram os escolhidos.

O destino da Terra Média não estava nas mãos daqueles que empunhavam espadas. Estava nos pés de Frodo e Sam.

E eles caminharam, insistentemente até o fim. E toda a terra foi salva.
A escolha então ficou clara. Nao seriam os gritos, as espadas, os poderes mágicos. Seria apenas a insistência e teimosia de dois simples camponeses em cumprir sua missão.

A mudança do Brasil não virá das mãos e nem das canetas dos políticos.
Virá dos braços fortes de brasileiros e brasileiras.

Excelentíssimo Senhor Presidente, eu torço muito pelo senhor. Eu realmente desejo tudo de bom para você e sua família. Eu continuo acreditando no Brasil. E acredito que a mudança virá.
Através de você, através de mim, através de todos nós!
Sem resistência, mas com muita insistência!

Então é isso pessoal. Chegou a hora de pensar e refletir:
Ele não, ele sim, e você? O que fará pelo futuro do país?

Eu volto em breve com mais podcast entao nao deixa de clicar no coração pra colocar o maternicast nos seus favoritos ok?
Um beijo e bola pra frente Brasil que o ano tá só começando. Até mais, tchau!

Carla
Carla
Carla Machado é casada com Ronald há 17 anos e é mãe da Lisa, do Levi e da Laís. É palestrante e coach de pais com especialização em Eneagrama, certificada pela International Enneagram Association.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *